X

O Tauren Deus Metal do Nexus, senhor C.T.E., sofreu mudanças no último patch, e mudanças significativas. Apesar das mudanças em sua life pool (HP total), o nerf mais significativo fica com sua passiva.

Antes, C.T.E. concedia 20% de velocidade de ataque aos aliados próximos sempre que usasse uma habilidade. Agora a sua passiva concede 20 de armadura (20% de redução de dano) quando uma habilidade é usada, para compensar sua perda de HP. As aplicações de armadura não se acumulam. A passiva era útil antes porque, quando C.T.E. ia para cima de algum inimigo, o time conseguia abusar desse bônus para causar mais dano nos inimigos. Com essa alteração e a redução de HP, ele perde prioridade no draft.

Essas mudanças vêm de encontro ao post sobre sistema de armaduras que fiz. Com os tanks tendo essa mudança de sistema, os picks de alguns deles tendem a vir por último no draft (vide Anub’arak, que é um pick para counterar magos). Neste caso, o kit do C.T.E. continua praticamente o mesmo; um excelente follow-up, com dois controles de grupos (fora as habilidades heroicas), mas agora também enquadrado para seguir o modelo do metagame atual: 2 tanks ou 1 tank + 1 bruiser, 2 assassinos (normalmente 1 mago) e um suporte.

Há quem diga que o C.T.E. está aguentando mais, porém, por pouco tempo, pois ele só aguenta mesmo quando ele consegue realizar o engage (ato de ir para cima de alguém). Se ele estiver contra uma composição de poke (danos recebidos a distância) e burst (danos massivos), ele não tem como tankar sozinho sem um outro guerreiro para apoiá-lo.

Não será o fim dele — ainda o veremos no Nexus algumas vezes, porém, com uma frequência bem menor do que antes. Acho que ele merece o descanso. Arthas e Anub’arak eram bem esquecidos e voltaram ao Sol, talvez seja mesmo a vez do nosso tauren metaleiro encostar um pouco a guitarra.

Compartilhe este post!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Tumblr0Email this to someonePin on Pinterest0