X

Lá se foi um belo final de semana, super importante para Heroes of the Storm e aqueles que acompanham o cenário competitivo. Não é novidade que os times asiáticos são favoritos, mas acredito que ninguém esperava as surras que assistimos nesses dias 31, 1 e 2. Foi de cair o queixo, e nos leva a fazer uma reflexão: o que deu errado nos times?

As regiões América do Norte e Europa, que eram umas das favoritas do público – não analisando torneios anteriores a Spring – apresentaram um resultado baixo, foram todos eliminados antes mesmo das semi-finais. É isso mesmo, até a Cloud9 foi eliminada antes das semi-finais.

O Psicológico

cry

Não é nenhuma novidade que o psicológico tem um peso enorme em torneios oficiais (até mesmo não oficiais). O peso de estar na Coréia competindo contra alguns dos melhores jogadores do mundo, pode ser sido demais para vários dos times participantes. E é curioso, pois vários deles já tem experiência em torneios desse porte, mas acredito que a viagem, a mudança, o ambiente de profissionalismo que existe na Coréia teve um peso maior do que o esperado.

Claro, não podemos isentar os times perdedores de sua culpa: não renderam o que deveriam. Mas não podemos negar que todas aquelas equipes estavam lá por contarem com jogadores de alto nível e com skill play individual ímpar! Como poderíamos esperar menos deles?

Uma das grandes provas que o psicológico dessa galera estava tão afetado, foram os tweets de jogadores e coachs onde expressaram a frustração pessoal com mensagem de doer o coração como a dos jogadores da C9 Dunk Train “Desculpem” e Caffeine “É oficial. Somos ruins.”

E temos também o pessoal da Big Gods, que deve estar passando por uma barra pesada. Tudo isso faz parte da experiência, no final das contas o que importa é entender seus erros, aprender com eles e evoluir.

As Regiões

asians2

Em Outubro de 2015 tivemos a final do primeiro torneio mundial de Heroes of the Storm durante a Blizzcon, equipes do mundo todo se enfrentaram pela primeira vez em um torneio presencial. Tivemos baixas, Brave (atual BigGods) não conseguiu vistos e a América Latina acabou sendo representada pela Furious Gaming nas classificatórias. Além deles, a eStar tinha se classificado para o mundial, mas teve o mesmo problema da Brave com vistos. A Braveheart, da China, teve que levar 3 jogadores substitutos também.

No primeiro torneio mundial um dos times mais fortes não esteve presente, teria sido o resultado diferente se a eStar tivesse participado? Jamais saberemos. O que aprendemos nesses dias 31 de Março, 1 e 2 de Abril é que a Ásia evoluiu muito mais rápido que as demais regiões. Apresentaram partidas com mais consistência e gameplay melhor aproveitado, ficou bem clara a grande diferença de nível entre as regiões com semi-finais compostas somente por equipes asiáticas.

Isso significa que Américas e Europa são ruins? Longe disso, significa apenas que a Ásia evoluiu mais rápido e os ocidentais não souberam lidar com as habilidades dos adversários.

Os Erros

Quem acompanhou os jogos e analisou, mesmo que de leve, as partidas pode perceber algo óbvio: as equipes cometeram erros bobos. Isso normalmente é contornável em uma região isolada, você consegue compensar seu erro, com mais acertos, mas a verdade é que as equipes asiáticas não deixaram espaços para acertos. Dois erros seguidos e a equipe havia comprometido a partida de uma forma que ficava muito improvável a vitória.

Posicionamento foi um dos problemas sérios, em praticamente todas as partidas, mesmo na decisão entre EDG e MVP, vários jogadores da EDG foram pegos fora de posição diversas vezes. Em jogos anteriores o cenário se repetiu, e deixou a sensação de que as equipes ocidentais em sua maioria não evoluíram seu game desde a final na Blizzcon.

A Experiência

erros

O evento foi sensacional, para todos, quem esteve lá, quem assistiu. Em um evento de eSport, transmitido em rede de TV nacional coreana, com a presença e palavra do Prefeito de Seoul, não tem como não se sentir grato. Apesar dos resultados, das frustrações, das dúvidas, todas as equipes que estiveram lá terão uma grande experiência na bagagem, e esperamos que aprendam com ela, evoluam e melhorem para a próxima temporada.

Os Jogos

Se você perdeu os jogos, poderá assisti-los no link abaixo (disponíveis pelo canal oficial da OGN):

Compartilhe este post!
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Tumblr0Email this to someonePin on Pinterest0