X

O eSport cresceu, hoje é capaz de encher estádios e chega a ter o mesmo público de outros esportes. Tudo muito novo e muito bacana, mas às vezes as organizações acabam passando por problemas na hora de dar suporte aos seus jogadores e se manterem vivos por anos.

Essa semana Alexander Kokhanovskyy (CEO do Na`Vi) emitiu uma carta em que as maiores organizações do eSport se juntaram para fazer exigências. Essas exigências visam melhorar o apoio aos jogadores e até mesmo a estrutura física dos locais. As equipes que fazem parte desse acordo são nada menos que: Na’Vi, Team Liquid, CLG, Cloud9, VP, TSM, fnatic, NiP, Titan e EnVyUs.

As equipes não participarão mais de torneios unicamente online (sem finais presenciais) dos jogos Dota 2 e Counter-Strike: Global Offensive, e, ainda englobando esses jogos, a premiação mínima para que os times listados participem é de 100.000 e 75.000 mil dólares, respectivamente. Além disso, eles exigem que as organizações cubram o transporte das equipes, que inclui passagens aéreas para os 5 integrantes + coach/manager da equipe, e que esse valor não deve ser contabilizado como parte da premiação.

_DSC5064Há exigência específicas em relação às equipes de Heroes of the Storm, em que os organizadores dos torneios podem cobrir parcialmente os custos das viagens – considerando o público e o tempo de vida do jogo; enquanto que para Hearthstone eles acordaram que o realizador do torneio terá que cobrir 100% dos custos de viagens (incluindo translado). Todos os jogos listados devem realizar o pagamento da premiação em até 3 meses após a conclusão do evento.

Todas essas exigências não vieram somente para com os realizadores dos eventos; as equipes se comprometeram a promover o torneio em suas redes sociais e perfil dos jogadores, bem como entregar um relatório com todos os dados de exposição do evento, 14 dias após a realização do mesmo.

Em relação ao tratamento dado aos jogadores, eles esperam melhoras na estrutura dos locais: banheiros dedicados (onde o público não tem acesso); hotel 4 estrelas, 3 quartos por equipe; os eventos não podem ter mais de 1x Bo3 e 1x Bo5 por dia. Além claro, de espaço e cadeiras confortáveis para os jogadores — com espaço de descanso isolado do público.

O curioso é ver todas essas coisas listadas em um documento, e ter impressão que as pessoas envolvidas tratam jogadores como “qualquer coisa”, parece que são sempre os últimos a serem considerados na realização desses eventos. Todas as mudanças e exigências solicitadas pelas equipes passam a valer a partir do dia 1 de Janeiro de 2016 – ou seja, sem essas condições mínimas, as equipes não participam do evento.

A ideia do documento é profissionalizar de vez o setor, onde muita coisa ainda é feita de forma amadora (mesmo lá fora). Vale observar que esse documento não citou em momento algum League of Legends. Será que tá na hora das empresas aprenderem a tratar melhor os seus jogadores?

Compartilhe este post!
Share on Facebook14Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on Tumblr0Email this to someonePin on Pinterest0